Entenda como funciona o mercado imobiliário americano

Se você pensa em comprar um imóvel nos Estados Unidos, o primeiro passo é saber como funciona o mercado imobiliário americano. Apesar da alta do dólar, os investidores brasileiros ainda conseguem bons negócios por lá, principalmente no estado da Flórida, em cidades como Orlando e Miami, onde o clima tropical é semelhante ao nosso, mas com regiões de extrema beleza natural, infraestrutura, segurança e educação pública de alta qualidade.
Para ajudá-lo a tomar a decisão de explorar novos mercados de forma segura, vamos detalhar como ocorre todo o processo de consulta, venda, pagamento e fechamento de um negócio imobiliário nos Estados Unidos. Após esta leitura, você saberá como proceder para realizar o sonho de ter uma propriedade em um destino antes imaginado apenas como de passeio e férias. Veja como é possível!

Preciso de uma corretora para me representar?

 
A melhor opção é contar com a ajuda de um profissional (realtor), para auxiliá-lo na busca pela propriedade adequada ao seu perfil. Além do conhecimento profundo de cada região, os agentes estão cientes de todas as regras contratuais e as suas opções para fazer uma oferta, receber uma contraproposta até a finalização do processo.
Para você escolher seu agente (broker), pesquise sobre qual a região a empresa é especializada e se os imóveis estão de acordo com os seus recursos disponíveis.
Nessa hora, o mais importante é se sentir confiante e muito bem amparado durante todo o processo. Você pode solicitar à sua corretora casos anteriores como referência, além de um comparativo de preços tanto para venda, compra ou aluguel.
O agente (realtor) não receberá nada até a compra ser realizada. Além disso, o vendedor que é o responsável sobre os custos do profissional, de aproximadamente 3% do valor da negociação.

Qual o papel do agente durante a compra?

 
Nos Estados Unidos, é obrigatório o cadastramento de todos os imóveis disponíveis no mercado no site Multiple Listing Service (MLS). Neste banco de dados, há fotos, detalhes sobre as casas, localização e o contato dos responsáveis. A partir desta lista, o agente lhe envia informações das residências que mais atenderem às suas expectativas.
Outro esclarecimento importante: nos Estados Unidos tanto o comprador como o vendedor são sempre representados por um Licensed Real Estate Agent (realtor). As vantagens são evidentes, desde o imprescindível amparo profissional até a transparência de todas as fases de negociação.

Como é o processo de compra?

 
O primeiro passo é a escolha do imóvel. Após esta etapa, assina-se um documento que se assemelha ao compromisso de compra e venda. Neste registro está redigida todas as cláusulas de suporte à venda, tais como: forma de pagamento, valor do sinal devido e data do fechamento do contrato de compra e venda.
Toda a transação financeira é realizada através do Cartório de Títulos e Documentos (Title Company) por meio da conta denominada Escrow. Qualquer valor referente ao contrato fica depositado lá até o fechamento da negociação. Os agentes imobiliários, portanto, não lidam com dinheiro de forma alguma.
Vale ressaltar que o valor do imóvel é estabelecido pelo mercado. E deve seguir o padrão de ofertas entre as propriedades vendidas com as mesmas características, tais como número de quartos, banheiros e outras utilidades como piscina etc.

Qual a diferença entre hipoteca (EUA) e financiamento (Brasil)?

 
Existem duas formas de pagamento no mercado imobiliário americano: pagamento à vista e a hipoteca (mortgage). Você pode escolher a opção que mais lhe convém. Contudo, o pagamento a vista é mais fácil e leva entre 20 e 30 dias de duração. Já a segunda opção chega a demorar até 60 dias e o processo coloca o próprio imóvel como garantia do empréstimo.
Para realizar o financiamento de um imóvel, você pode contar com um mortgage broker. Ele é o responsável para te auxiliar no processo de empréstimo junto a instituição financeira. Lá fora, os bancos financiam em até 70% do valor do imóvel, além disso, os juros são taxados em torno de 4,7% ao ano. Mas qual é diferença do padrão brasileiro e o americano afinal?
Os financiamentos nacionais são realizados, atualmente, pelo modelo de alienação fiduciária, ou seja, o proprietário transfere a propriedade fiduciária do imóvel para a instituição financeira até o término do contrato. A instituição, desse modo, tem a posse indireta da moradia, mas o proprietário continua com a posse direta, isto é, morando no imóvel.
Com o modelo da alienação fiduciária, a instituição financeira tem mais facilidade de tomar a residência, sem precisar entrar com recursos judiciais. A vantagem para o contratante é que quanto mais fácil é o processo para o banco, mais facilidades ele pode oferecer ao cliente, como a extensão de crédito.
Já na hipoteca, a propriedade já está em nome do comprador e a retomada do bem é muito mais complexa, pois envolve um processo judicial para reaver o imóvel.

Como funciona a finalização de compra?

 
A Companhia de Títulos (Title Company) coordena os interesses de todas as partes durante a transação imobiliária. Ela realiza o levantamento legal e jurídico da propriedade e do proprietário; a transferência de titularidade; os protocolos do financiamento entre o comprador e o banco; e a entrega das chaves e toda devida documentação.
As taxas para o processo (closing costs) são de aproximadamente 1,5% do valor na compra à vista, enquanto com o financiamento chegam a 6%.
Ficou interessado e deseja saber mais sobre o mercado imobiliário americano? Entre em contato conosco e conheça o melhor caminho para investir no exterior e construir o seu patrimônio financeiro distante da crescente inflação brasileira e instabilidade econômica.

Fale conosco

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *