Hipoteca nos EUA: como ela funciona na compra de um imóvel?

Está em seus planos comprar um imóvel nos Estados Unidos? Caso sua resposta seja positiva, é essencial que você conheça as possibilidades de financiamento e obtenção de crédito disponíveis para estrangeiros. O  mortgage é a hipoteca nos EUA. Você já deve ter ouvido falar desse termo alguma vez nos filmes estadunidenses, não é verdade?
Assim como os restaurantes fast-food, a hipoteca faz parte da vida dos habitantes norte-americanos e da sua iniciação à vida adulta. De acordo com o OECD Affordable Housing Database, 62,9% dos estadunidenses possuem casa própria.  A maioria dos americanos  adquire seu imóvel se utilizando do financiamento bancário.
Quer saber como a hipoteca nos EUA funciona na compra de um imóvel? Continue a leitura e confira!

O que é exatamente a hipoteca?

Ao adquirir uma propriedade por meio da hipoteca, a garantia do empréstimo realizado pelo banco é o próprio imóvel. Mas o título da propriedades pertence ao comprador, em outras palavras, mesmo que a compra do imóvel for efetuada com crédito bancário, o imóvel é registrado no nome do comprador. O banco não tem a propriedade do imóvel.
Entretanto, se por alguma razão os pagamentos das prestações do financiamento não forem efetuados, a instituição financeira tem o direito de tomar a casa com a finalidade de reaver o dinheiro do emprestado.
Os bancos financiam o estrangeiro em até 70% do valor do imóvel. Os juros em média estão em torno de 4.7% ao ano. Se compararmos com os modelos de financiamento imobiliário no Brasil atualmente, os benefícios do mercado norte-americanos são gritantes.

Quais as vantagens de fazer uma hipoteca?

Como mencionado acima, os bancos norte-americanos financiam até 70% do imóvel para estrangeiros.  No Brasil, as taxas de crédito imobiliário  estão, em média, 9,76% ao ano, segundo levantamento realizado pela empresa Melhor Taxa e publicado no jornal Estado de S. Paulo, em dezembro de 2017.
Diferentemente do Brasil, mais uma vez, na América do Norte é possível refinanciar o pagamento e ter mais de uma hipoteca em apenas um imóvel. Outra possibilidade é usar a hipoteca nos EUA como linha de crédito para outros empréstimos. Vale ressaltar, no entanto, que a liberdade de crédito no mercado influenciou a bolha imobiliária de 2008 e gerou uma profunda crise no sistema financeiro norte-americano.
Desde então, algumas regulamentações foram criadas, mas esse modelo de compra da casa própria continua sendo o mais realizado no solo estadunidense. Os americanos, por exemplo, financiam suas propriedades com empréstimos em longo prazo, entre 15 a 30 anos.
Assim, as parcelas são menores e a sensação é quase a mesma de pagar um aluguel e, sobretudo, os juros da hipoteca podem ser deduzidos do imposto de renda. Portanto, se você quer diversificar seus investimentos, uma propriedade nos Estados Unidos é um dos mais vantajosos, seja com a finalidade de férias, seja para alugar.

Como solicitar um financiamento?

O primeiro passo para comprar um imóvel é escolher uma corretora de confiança. O corretor será o responsável por apresentar todas as opções no mercado e ajudar no processo. As suas responsabilidades são reunir a documentação necessária e a permissão de entrada nos EUA, isto é, o visto, mesmo que de turista. Lembre-se de que comprar um imóvel não garante nenhum tipo de permanência no país.
Como turista, você tem alguns direitos nos EUA, tais como abrir um conta no banco, fazer investimentos e comprar imóveis, ou seja, tudo que você precisa, em um primeiro momento, para dar entrada na propriedade dos seus sonhos. Veja quais são os documentos basicamente necessários para dar entrada no financiamento:

  • cópia  da página que contém as suas  informações do seu passaporte e visto de entrada nos EUA.
  • é necessário mostrar comprovante de residência do país de origem (conta de luz, telefone, água etc.);
  • cópia  de rendimento, caso tenha capital investidos em diferente modalidades;
  • declaração de trabalho, caso o solicitante seja empregado. O documento deve incluir cargo, tempo de serviço e receita dos últimos dois anos. Nesse caso, é necessário apresentar a versão original em papel timbrado pela empresa;
  • no caso de empreendedores e trabalhadores independentes, é necessária a apresentação dos rendimentos pessoais e comerciais dos últimos dois anos, incluindo o percentual do solicitante no negócio e qual a área de atuação da empresa. Os documentos devem ser realizados por um contador, em papel timbrado, e incluir as informações da empresa: endereço, contatos e data de registro da criação da empresa, por exemplo, na Junta Comercial;
  • é preciso duas cartas de referências bancárias de instituições financeiras dirigidas ao banco com o demonstrativo da relação do cliente com a instituição durante dois anos, no mínimo. Assim como em outros documentos, a carta deve ser em papel timbrado e com nome e contatos do banco e do funcionário responsável por assinar o documento.
  • por fim, é necessário incluir extratos bancários como prova de fundos para concluir a transação, isto é, o valor de entrada e de, pelo menos, um pouco mais do montante relativo a seis meses das possíveis parcelas.

Todos esses documentos devem ser apresentados para iniciar o processo de financiamento.

Como ser bem-sucedido ao realizar uma hipoteca nos EUA?

Mesmo se o banco aceitar o seu pedido de crédito, avalie as suas reais condições de se comprometer com o pagamento. Um ótimo teste para descobrir se você conseguirá sanar as suas dívidas é multiplicar a renda familiar anual por 2,5. Por exemplo: uma família com renda média de US$ 72 mil por ano pode comprar uma casa de US$ 180 mil tranquilamente.
Esse modelo mostra que você não deve comprometer a pagar uma hipoteca que consuma mais de 25% de sua renda. O melhor caminho é dar uma entrada de 30% no seu empreendimento e que as suas dívidas totais não ultrapassem 33% do seu faturamento.
Outra advertência é sobre manter uma reserva de seis meses para qualquer emergência. Fique atento também a hipotecas de juros ajustáveis. Avalie sempre as parcelas de acordo com juros pré-acordados com o banco.
Após todas essas informações sobre hipoteca nos EUA e as facilidades do mercado norte-americano em relação ao brasileiro, se você busca construir um patrimônio financeiro seguro e estável, esse é o caminho.
Para continuar a se informar sobre o processo da casa própria e investimentos no exterior, assine a nossa newsletter e esteja sempre atualizado sobre as novidades do mercado imobiliário nos EUA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *